segunda-feira, 11 de julho de 2016

Biba Portugal carago!

Chorei. Choro sempre que se canta A Portuguesa e chorei no fim do jogo.

Ah caraças, ganhámos o europeu!!

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Ora então.

Bom fim de semana!
Com calor, como algumas pessoas querem (not me!).

Mas pronto, entusiasmada por Domingo. Vou fazer uns petiscos e vou ver o jogo junto ao meu homem :)

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Parabéns.

Parabéns a mim, que há 5 anos fui mãe. Parabéns a ele que me enche de orgulho todos os dias. É o meu companheiro do dia-a-dia, afinal de contas a nossa vida somos nós os dois.
Ultimamente anda numa fase mais melosa, agarra-se a mim com toda a força. Mas é tão bom.


domingo, 3 de julho de 2016

Bolas.

Ando podre. Basicamente não tenho tido um único dia para estar esticada. Deixem-me lá ir actualizar-me.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Do aniversário.

Falta menos de um mês para o aniversário do meu filho e já comecei a organizar as coisas! Quero fazer uma festinha bonita, já que o ano passado não pude fazer nada, porque ainda estava na casa dos meus pais.

Festa temática: Ruca. Odeio de morte o raio do boneco, mas pronto, não se trata do meu aniversário mas sim da pessoa que mais amo neste mundo.

E se pensam que vou gastar rios de dinheiro, desenganem-se! Vou tentar fazer o máximo de coisas possível :)

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Da separação #2

Outra das coisas que queria com a separação era a independência financeira. Até nem queria ajuda nenhuma do pai do meu filho, mas infelizmente vou ter de aceitar. Quer dizer, dava jeito uma ajuda para comprar as coisas para o filho que também é dele, mas não está fácil... Basicamente não se quer chegar à frente, que - novamente - tem a vida dele. Caramba, mas eu não tenho a minha? Só quero que isto fique tudo decidido oficialmente para falar o menos possível com aquela criatura.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Da separação.

Se há coisa que eu sempre tentei desde a separação, foi a relação entre pai e filho. Quero que falem, que estejam juntos. A guarda ainda não foi decidida em papel e sempre achei que um fim-de-semana de 15 em 15 dias era muito pouco. Então propus que estivessem juntos todos os fins de semana, ou quase todos.
A resposta que obtive foi: 'não, que tenho a minha vida'. Ok, tudo bem, a decisão foi dele, fico de consciência tranquila. Daqui a uns anos não se queixe que o filho não quer saber dele, porque agora ainda é apaixonado por ele, mas suponho que acabe com a distância.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Do cansaço.

Sabem aquela sensação de cansaço extremo depois de um dia de trabalho? Mas aquela sensação do 'epah, estou cansada mas gosto tanto!'. Pronto, é essa que sinto.
Ando estafada, mas prefiro mil vezes sentir-me assim e estar a trabalhar do que estar em casa. Ou estar no meu anterior trabalho diga-se.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Do trânsito.

Tiro o chapéu a quem se põe na fila da ponte 25 de Abril todos os dias.

domingo, 5 de junho de 2016

Pelos caminhos de Portugal #2

Lá fomos novamente passear, desta vez mais a sul :)


Deu para descansar e ainda dar umas braçadas na piscina.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Do novo trabalho.

Ontem não consegui mesmo vir deixar notícias, estava completamente podre. Mas hoje já me consigo sentar ao computador.
O trabalho é mesmo a minha cara, adoro! E é de mais responsabilidade do que estava à espera :) Neste momento está tudo bem encaminhado, é só orar para que corra tudo bem lol

domingo, 29 de maio de 2016

sábado, 28 de maio de 2016

Dos nervos.

Estou nervosinha. Último fim-de-semana como desempregada dá sempre aquela ansiedade!
Estou mesmo entusiasmada com este emprego. Espero dar conta do recado e conseguir ficar na casa.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Das mudanças III

Ando à procura de uma nova casa para arrendar. Quando se tem uma senhoria que só sabe exigir e não cumpre com as suas responsabilidades, somos obrigados a mudar. E tenho muita pena, porque gosto muito desta pequena caixa de fósforos.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Pelos caminhos de Portugal.

É muito triste eu dizer que já passeei mais com o meu actual namorado do que com o meu ex-marido? Isso agora também não interessa nada.


Mértola. O sítio mais pacífico a que já fui.
Para quem quer descansar e não ouvir mesmo nada, aconselho. 
Esta foto foi tirada da janela do nosso quarto.


Poço do Inferno (perto da Serra da Estrela).
Estava um frio de rachar e não apanhámos neve, mas é tudo lindo de se ver.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Da minha terra.

Depois perguntam-me porque é que gosto tanto da minha terra. E porque é que vou à praia todo o ano.



(sem filtros)

domingo, 22 de maio de 2016

Das mudanças II.

Se alguém me dissesse, há um ano e meio atrás, que me iria apaixonar outra vez, ia certamente rir-me à gargalhada e negar até ao fim.

'Impossível', pensava eu. Nem sequer punha a hipótese de um dia mais tarde arranjar alguém. 'Odeio homens', dizia.
Pois mais valia estar caladinha. Saiu-me o tiro pela culatra, como se costuma dizer. E foi mesmo quando e onde menos esperava. Uma pessoa que já conhecia há alguns anos voltou a entrar na minha vida em Abril do ano passado. Saímos bastante, como amigos... Os meses foram passando e no final do Verão começámos a ser algo que nem sei o quê. No fundo andámos a negar a nós próprios que o amor poderia reaparecer. No início deste ano decidimos dar um passo em frente e hoje somos namorados. E posso dizer. Bendita a hora que ele apareceu na minha vida. Voltei a apaixonar-me. E é tão bom :)

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Das mudanças.

Há um ano e meio atrás decidi separar-me. Casada há 6 anos e junta há 7, cansada de tudo, tomei esta decisão. Não foi tomada de ânimo leve, claro que não, nem sequer em semanas... Foram meses a pensar neste assunto, a ponderar todos os prós e contras, ainda para mais com um filho.
O desconforto do meu casamento já durava há anos e tornou-se ainda pior depois do meu filho nascer. Aquela pessoa já não me fazia feliz em nenhuma circunstância. Pensei para mim: 'Caramba, como é que é possível um casamento tornar-se assim?'

Depois é que me lembrei... Foi sempre assim. Eu é que fui ignorando, passando uma borracha em tudo aquilo de que não gostava. E chegou o momento em que deixei de ter paciência. Na balança estava o continuar infeliz, com discussões a toda a hora, a ser praticamente escrava ou libertar-me e começar tudo outra vez. Separar-me significava também voltar para a casa dos meus pais. Com o meu filho. Ainda não tinha condições financeiras para me tornar independente, na altura não trabalhava, pois o meu filho tinha alguns problemas de saúde e necessitava do meu apoio. Mas fomos e hoje posso dizer que foi a melhor decisão que tomei, a todos os níveis.

sábado, 14 de maio de 2016

Bom fim de semana!

O facebook acabou de me recordar que há exactamente um ano, já estava na praia. Não se admite!

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Do peso.

Há 2 anos atrás tinha cerca de 93kg. Um horror, pelo menos para mim. Foram muitos anos de 'deixa andar', que me deixei de preocupar comigo mesma... Para além do peso, deixei de me preocupar com a minha imagem, vestia qualquer coisa. Até que se deu o click (sinceramente eu acho que é o mais importante. Querer só não chega. É preciso acontecer aquela mudança interior), e comecei uma dieta. Custou, se custou senhores! Super restrita em hidratos de carbono com alto IG. Estudei, informei-me sobre os alimentos e cada vez mais me comecei a interessar pelo tema. Depois de 15kg perdidos comecei com o exercício físico, sempre em casa e com moderação pois tenho algumas limitações de saúde.
A alimentação regrada passou de um sacrifício para um gosto, o meu estômago passou a querer muito menos quantidade de comida e não gosta de tudo. Tive de parar com a maior parte dos exercícios pois as limitações aumentaram, mas sempre me mantive regrada.
Hoje, passado 2 anos e 2 meses perdi 33kg. Estou quase como há 10 anos atrás. Estou feliz. Gosto de me ver outra vez ao espelho, passei a cuidar da minha imagem novamente, a ser vaidosa.

Mas continuo a afirmar: custou, se custou!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Apresentações.

Talvez seja melhor fazer uma pequena apresentação, não?
Ora, jovem nos seus quase 30 anos. Que no último ano e meio fez de tudo para mudar a sua vida (mais pormenores em post's à frente). Este ano não me está a correr muito bem, fiquei recentemente desempregada, com uma casa para sustentar. Um sarilho. Principalmente porque estou com alguns problemas de saúde. Mas pronto, nem tudo é mau, portanto é arregaçar as mangas!